quinta-feira, 26 de abril de 2012

Sou Eu.


2 comentários:

  1. Amiga Nair, ler suas poesias é como viajar para dentro de nós e dos nossos sentimentos. Assim como “eu” me acho dentro de cada uma delas, creio que outras pessoas também se sintam dessa forma. Esta é a função da poesia, deixar em cada um a impressão de que foi escrita com exclusividade. É a arte de retratar no papel; versos e estrofes, a inspiração, o mais belo despertar dos sentimentos. È a habilidade, a percepção de exteriorizar qualidades e particularidades das pessoas. O lirismo envolve emoção, estado de alma, os pensamentos, os sentimentos e o ponto de vista do poeta (autor) e, portanto, é inteiramente subjetiva. Talvez até choque algumas pessoas mas em pleno século XXI, acho um pouquinho contraditório, falso puritanismo eu diria. Somos mulheres, fortes, batalhadoras, não estamos na vida à passeio, adquirimos a liberdade de nos expressarmos sem máscaras, abandonando velhos tabus, falando livremente dos nossos mais secretos sentimentos sem o medo de julgamentos preconceituosos ou mal interpretados.
    Beijos.
    Rita

    ResponderExcluir
  2. DEDICADO À UMA VOZ

    Voz que encanta
    Que cura
    Que apazigua minh´alma
    -Não permitas que te calem

    Tu emanas o canto
    Que silencia as sereias
    E diante do espelho as faz corar.

    Voz que ouço e que atendo:
    És musa, deusa e talento
    Inspiradora do meu ego
    Defensora dos meus julgamentos

    Tu és como o mel – suave e doce
    Mas, enfurecida,
    És firme e forte como o fel

    Sem pedir entraste em meu poema
    Disfarçando-te em versos.
    Contida estas entre palavras
    E ao subjetivar-me... te admiro!

    *do livro (O ANJO E A TEMPESTADE ) de Agamenon Troyan

    ResponderExcluir